Artigos

Havia uma side quest no meio do caminho…

side-quest-overgeek

Quando vai se jogar alguma coisa, o caminho padrão vai ser recomendado, para seguir a história conforme a desenvolvedora planejou que fosse feito, com uma curva de aprendizado onde o jogador vai aprendendo, pouco a pouco, os movimentos básicos, até que se chega em um ponto onde são necessárias combinações das habilidades adquiridas até então.

É um caminho padrão, que se esperaria que fosse seguido, mas e se lhe for dada a escolha de não seguir o caminho indicado – uma não-linearidade, a sua decisão seria seguir aquela seta gigante no monitor, e fazer a quest principal, ou desativar o marcador e ir para o lado contrário? Não existe uma resposta correta para essa pergunta, e varia totalmente de quem estiver no comando.

A curiosidade é um elemento que sempre me deixa com um pé atrás antes de seguir o caminho indicado pelo jogo como ideal a ser seguido, checando cada possível canto antes de ir onde me foi pedido a ir. Ando com o pé para seguir para uma próxima área, especialmente caso não for possível retornar mais adiante – pode ter aquele caminho escondido que vai fazer falta pro 100% mais adiante.

Pessoalmente, caso for a primeira vez que estiveres jogando determinado jogo, ou não tenha muita noção dos mecanismos de combate, que seja seguido o caminho padrão, e em uma dificuldade moderada – ter uma resistência para que lhe seja contada a história do jogo lhe resultará em uma experiência melhor, e o desafio de conseguir ultrapassar determinada etapa dá uma satisfação.

Aqui entra a magia dos MMO/RPGs – nenhuma aventura vai ser igual à anterior, você faz o próprio caminho se assim for desejado! Uma experiência bem pessoal, e muito marcante, foi com o velho (e saudoso) Runescape, onde cada um dos meus personagens seguia um caminho totalmente diferente do outro, focando em outros tipos de habilidades, e explorando um mapa com diferentes olhos a cada replay, e uma experiência que me fez ver os jogos de uma maneira diferente.

A base estava feita, construída ao longo dos anos, e me surge uma oportunidade de ouro em uma das melhores épocas possíveis – férias da faculdade (ainda não estava trabalhando na época) + computador decente! Comecei minha aventura no The Elder Scrolls V: Skyrim sem nunca ter jogado nada da série, e logo após o tutorial, tenho a opção de seguir para a vila no fim da estrada e avisar os moradores de um dragão, ou não seguir a estrada…

Andei um pouco pela neve, explorando a mecânica de combate do jogo, quando apareceu um ponto de interrogação relativamente próximo… Muitas dezenas de horas se passaram, e ainda é desconhecido para aqueles moradores do ataque :)

Você também vai gostar de